15 cidades históricas de Minas que você precisa conhecer

Uma viagem pelas cidades históricas de Minas Gerais faz o turista voltar no tempo e vivenciar experiências que relembram o período do ciclo da mineração. Além da história da época do Brasil colonial, quem visita a região pode conhecer as particularidades e delícias da cozinha mineira e também percorrer trilhas que revelam paisagens cercadas por montanhas e serras.

Listamos aqui 15 destinos mineiros que você merece conhecer. Confira e conte pra gente se dá ou não vontade de viajar hoje mesmo? Vamos lá?

15 – Brumadinho

Igreja do Rosário em Brumadinho/MG
Igreja do Rosário em Brumadinho/MG

É em Brumadinho na cidade que se encontra o maior museu de arte contemporânea a céu aberto do mundo, mas onde estão também uma infinidade de atrativos de valor histórico, cultural e gastronômico. Por isso vale a pena considerar um pernoite na cidade quando visitar o museu ou um fim de semana de paz e tranquilidade nos distritos rurais do município para conhecer as riquezas locais.

Brumadinho está a cerca de 60 km de Belo Horizonte e foi roteiro de passagem de bandeirantes na era do ouro. Até mesmo por isso, povoados e arquitetura guardam traços da história de Minas Gerais. Soma-se a isso a beleza cênica natural já que está rodeada pelas Serras da Moeda, da Calçada e do Rola Moça.

14 – Congonhas

Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas/MG
Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas/MG

Aleijadinho esculpiu em pedra-sabão as famosas imagens dos doze profetas em tamanho real, que são visitadas anualmente por turistas, Congonhas está localizada a 70 km de Belo Horizonte, famosa por fazer parte do Ciclo do Ouro no país e, também por sua expressão cultural. Foi nesta cidade que Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, construiu parte de um dos mais famosos e belos conjuntos arquitetônicos do Brasil.

Os principais atrativos de Congonhas são: Basílica Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, Romaria, Igreja de Nossa Senhora da Conceição, Igreja do Rosário, museu da Imagem e Memória e o Parque da Cachoeira. Antes de ser a “Cidade dos Profetas”, Congonhas foi e ainda é um grande centro de peregrinação. Todo ano, o município reúne milhares de fiéis em busca da cura das suas aflições.

13 – Caeté

Serra da Piedade - Caeté/ MG
Serra da Piedade – Caeté/ MG

Caeté faz parte do Caminho Sabarabuçu, o qual foi integrado ao traçado da Estrada Real, a 60 km de Belo Horizonte, Caeté faz parte do Caminho Sabarabuçu, o qual foi integrado ao traçado da Estrada Real como uma extensão do Caminho Velho. Um santuário de natureza e religiosidade. A 1746 m de altitude, a Serra da Piedade, se desponta como um lugar perfeito para apreciação do pôr-do-sol e observação de astros, no observatório Astronômico Frei Rosário. Caeté, revela vários exemplares da arquitetura barroca, desde a 1º fase até o rococó, que podem ser apreciados nas principais igrejas: Matriz de Nossa Senhora do Bom Sucesso, São Francisco de Assis, Nossa Senhora do Rosário, capela de Santa Fructuosa – onde tem uma bela vista parcial da cidade e Ermida de Nossa Senhora da Piedade.

12 – Serro

Serro/MG- Vista Parcial

Município rodeado por serras, morros, rios e cachoeiras, a cidade de Serro se apresenta como excelente destino para os apreciadores do turismo histórico e ecológico. Situada no centro-nordeste de Minas Gerais, na região central da Serra do Espinhaço, Serro fica a 240 quilômetros de Belo Horizonte, é também uma importante Cidade do Caminho dos Diamantes e da Estrada Real, uma herança das minas que atraíram os Bandeirantes paulistas e nordestinos no século XVIII.

11 – Sabará

Chafariz do Rosário, centenária construção em Sabará/MG.
Chafariz do Rosário, centenária construção em Sabará/MG.

A cidade cresceu, e alguns bairros perderam o clima interiorano mesmo assim, guarda preciosidades arquitetônicas do período do ciclo do ouro como o encantador teatro municipal onde recebeu Dom Pedro II e a pequena e belíssima Capela de Nossa Senhora do Ó, obras únicas em Minas Gerais. Um ótimo passeio pela história e arte da Minas colonial pode ser feito através de visitas a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, com sua suntuosa decoração, a igreja de Nossa Senhora do Carmo, guarda valiosas obras do mestre Aleijadinho, e ao Museu do Ouro, que, com seu acervo, muito ensina sobre o período da mineração no século 18. A tradição também segue viva no bairro de Pompéu, com restaurantes que servem o refogado de ora-pro-nóbis.

10 – Santa Bárbara

Igreja Matriz de Santo Antônio, a riqueza histórica de Santa Bárbara/MG
Igreja Matriz de Santo Antônio, a riqueza histórica de Santa Bárbara/MG

Santa Bárbara é uma importante cidade histórica de Minas Gerais, traçada por muitas histórias do ciclo do ouro, conta com diversas atrações turísticas.

As atrações vão de passeios pelas belas igrejas históricas, belos casarões do período colonial, estação ferroviária, museu e o tradicional mel Santa Bárbara, além das diversas opções nas cidades da região. Integrante do Circuito do Ouro de Minas Gerais, a Cidade Histórica de Santa Bárbara faz parte do Caminho dos Diamantes da Estrada Real.

A cidade conhecida pelo tra dicional mel Santa Bárbara, também é a terra natal do ex-presidente Afonso Pena.

09 – Prados

Prados/MG
Prados/MG

Situada na região de Campos das Vertentes, a cerca de 190 km da capital mineira, Prados conserva belas e antigas construções setecentistas que transportam o seu visitante direto ao século 18.

Suas tortuosas ruas abrigam anosos casarões e igrejas coloniais da época do circuito do ouro e da escravidão. O Casarão de Dona Hipólita lembra a primeira mulher a integrar o grupo dos Inconfidentes.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição possui o interior em estilo rococó, contrastando com a sobriedade de sua fachada. Seus opulentos altares dourados misturam-se a figuras bíblicas.

08 – Bichinho

A Casa Torta em Bichinho (Vitoriano Veloso)

O simpático vilarejo de Bichinho que tem a alcunha oficial de Vitoriano Veloso e fica entre Tiradentes e Prados, ao qual pertence. O povoado possui uma das maiores concentrações de artesões do circuito dos Inconfidentes e hoje, o povoado é uma sequência de casas antigas que servem tanto como residências quanto como oficinas, ateliês e lojas de artesanatos.

07 – Mariana

Praça Gomes Freire em Mariana/MG
Praça Gomes Freire em Mariana/MG

Mariana tem a maior Mina de Ouro aberta para visitação no mundo, destaque para o turismo cultural, ecológico e aventura.
O nome Mariana foi dado em homenagem à rainha D. Maria Ana de Áustria, esposa do rei D. João V. A cidade Mariana faz parte da história do nascimento de Minas Gerais, pois foi sua primeira vila, cidade e capital.

06 – Catas Altas

Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição - Catas Altas/MG
Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição – Catas Altas/MG

O vinho de Catas Altas era comparado por autoridades no assunto como melhor que do Porto e o Xerez. Importante rota de um dos antigos caminhos coloniais, o local passou a ser chamado de Catas Altas devido ao processo primitivo para extrair o ouro, que era explorado no sistema de catas, onde grandes escavações eram feitas nas areias dos rios até encontrar a pedra do fundo do leito. A história de Catas Altas, assim como de diversas cidades mineiras, está relacionada com o ciclo da mineração no século XVIII. O nome “Catas Altas” provém das profundas escavações que se faziam no alto dos morros. A palavra “catas” significa garimpo, escavação mais ou menos profunda, conforme a natureza do terreno para a mineração. A região oferece diversos atrativos naturais. Os Altos da Lagarta, do Barreiro, do Cruzeiro, Cachoeiras da água Limpa e do Jequitibá, Morro Redondo, os Rios Piranga e Pirapitinga são alguns desses atrativos.

05 – Diamantina

O famoso Passadiço da Casa da Glória é o cartão postal de Diamantina/MG
O famoso Passadiço da Casa da Glória é o cartão postal de Diamantina/MG

Com suas riquezas naturais que embelezam a cidade ainda tem um dos carnavais mais famosos do Brasil, Diamantina soube conservar sua arquitetura, a cultura e sua natureza e se tornar uma das Cidades Históricas mais visitadas do Brasil. O casario colonial de inspiração barroca, construções históricas, suas igrejas seculares, paisagem cênica e uma forte tradição religiosa, folclórica e musical, com suas serenatas. Diamantina reúne ainda mais atrações para o turista. Além de suas riquezas naturais que embelezam seus arredores, a cidade ainda tem um dos carnavais mais famosos do Brasil. Diamantina é uma cidade musical, a história, a arquitetura e os aspectos culturais inspiram artistas e faz de Diamantina um lugar onde o erudito e os populares se misturam em obras autênticas da musicalidade mineira.

04 – Lavras Novas

Lavras Novas/MG
Lavras Novas/MG

A cidade de Lavras Novas esconde em meio às montanhas um ar bucólico e acolhedor. O povoado é repleto de casinhas coloridas, pousadas à beira das montanhas, turismo de aventura e muita comida mineira. É o lugar ideal para uma escapada de Ouro Preto no final de semana. Os moradores recebem os turistas como se fossem de casa e rapidamente você estará ambientado entre as mesinhas no jardim e os belos artesanatos da região.

03 – Ouro preto

Vista de Ouro Preto/MG
Vista de Ouro Preto/MG

Ouro Preto uma das 7 maravilhas Brasileiras, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade e muitas atividades a oferecer, uma delas são os passeios ecológicos de tirar o fôlego dos turistas, Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira a ser declarada pela Organização das Nações Unidas como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, no ano de 1980. O município possui um rico e variado ecossistema em seu entorno, com cachoeiras, trilhas seculares e uma enorme área de mata nativa, que teve a felicidade de ser protegida com a criação de Parques Estaduais. O mais recente destes situa-se próximo ao distrito de São Bartolomeu. Ouro Preto também se destaca pela atividade cultural. Todos os anos, a cidade é sede do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes. A cidade tem também o maior Carnaval Estudantil do Brasil, onde as festas são organizadas pelos moradores das Repúblicas Estudantis. Recentemente, Ouro Preto foi eleita uma das Sete Maravilhas Brasileiras. Além de ser um “museu a céu aberto”, a cidade tem instituições que guardam acervos variados como: Museu das Reduções, Museu do Chá, Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas, Museu da Inconfidência, Museu da Música, Museu Casa dos Contos, Ludo Museu, Museu do Oratório, Museu Casa Guignard, Museu de Pharmacia, Museu de Arte Sacra do Pilar, Museu Aberto Cidade Viva, Museu Aleijadinho além do Museu do Ouro.

02 – São João Del Rei

Passarela Centro Histórico - São João Del Rei/MG
Passarela Centro Histórico – São João Del Rei/MG

Capital Brasileira da Cultura, a histórica São João Del Rei é uma das mais tradicionais das cidades mineiras, São João Del Rei foi eleita como a Capital Brasileira da Cultura, e transformou-se em uma das mais tradicionais cidades mineiras, berço da política. Suas igrejas banhadas a ouro e seus monumentos históricos, transformam a cidade em um belo cartão-postal. Conhecida também por suas tradicionais festas religiosa como a Semana Santa que envolve a população e os seus visitantes em um grande encontro cultural. As suas aproximadamente 35 igrejas, são parte obrigatória do programa turístico. A mais conhecida é a igreja São Francisco de Assis, considerada a obra prima de Aleijadinho. A cidade também oferece um passeio feito pela locomotiva “Maria Fumaça” que faz um percurso de 12 km até Tiradentes.

01 – Tiradentes

Igreja Matriz de Santo Antônio - Tiradentes/MG
Igreja Matriz de Santo Antônio – Tiradentes/MG

Tiradentes se orgulha de sua vocação turística, sendo considerado um dos polos mais importante do Brasil, destaque para o passeio da Maria Fumaça, a travessia Águas Santas na Mata Atlântica, Tiradentes uma das cidades que mais teve ouro de superfície no Brasil, e graças a esta abundância, o arraial se desenvolveu, sendo elevado à categoria de Vila de São José Del Rei, ganhando a configuração arquitetônica que permanece até hoje. A decadência do metal não impede a Coroa Portuguesa de lançar a derrama, exigindo o pagamento compulsório de impostos atrasados do quinto do ouro. Esta atitude opressora da metrópole faz nascer um sentimento revolucionário, que ficou conhecido como Inconfidência Mineira. Não só a cidade, mas todo seu entorno paisagístico é tombado pelo IPHAN, e hoje, Tiradentes se orgulha de sua vocação turística, sendo considerado um dos polos turísticos mais importantes do Brasil. A Cachoeira Bom Despacho, Marco Estrada Real, Mangue, Balneário Águas Santas, Santíssima Trindade, Bosque da Matriz, entre outros. Os amantes da boa culinária encontrarão uma grande variedade de bares e restaurantes com o melhor da cozinha mineira e internacional. O passeio de Maria Fumaça, a Travessia Águas Santas na Mata Atlântica, Cachoeira do Mangue, Mirante, Calçada de Pedra, Balneário de Águas Santas. Calçada dos Escravos, Mirantes da Serra, Campo Rupestre, Cachoeira do Mangue. Cachoeira Paulo André, Fazenda do Menino Maluquinho, Cachoeira Paulo André. Vitoriano Veloso a margem do Rio das Mortes, Cava centenária, Bichinho, Artesanato, Museu do Automóvel, Estrada Real. Descida de Bote Rio Elvas. Trilha dos Macacos Mata Atlântica e Paredões da Serra.

E aí? Deixamos alguma cidade de fora? Conta aí nos comentários!

Sobre o Autor

Fernando Guilherme
Fernando Guilherme
Empresário e Analista de Sistemas. Desde que comecei a viajar, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Hoje faço parte da equipe da Pegada Ecoturismo buscando aplicar meus conhecimentos para tornar nosso modo de viajar uma experiência única. Viajar, aprender e compartilhar. Viaje bem para viajar sempre!