Insolação e Desidratação – Sintomas, Tratamentos e Causas

Aventureiros estão a maior parte do tempo ao ar livre e muitas vezes à mercê das condições climáticas, como a exposição ao sol, que nem sempre é aliado das aventuras. Sol demais pode trazer prejuízos ao corpo, e um desses problemas é a insolação e desidratação.

Explicaremos um pouco o que é isso, como prevenir, identificar e o que fazer quando o sol se torna um inimigo.

A insolação acontece quando a temperatura corporal aumenta muito e rapidamente, de modo que apenas o suor não dá conta de fazer o resfriamento do corpo.

O que causa a insolação

Ela é causada pela exposição direta e prolongada ao sol forte ou pela grande intensidade de calor. Ela normalmente inicia com um quadro de desidratação (pela perda de suor, sem a reposição adequada dos líquidos) e vai evoluindo para níveis mais sérios.

A insolação pode ser apenas leve ou chegar a situações graves, ocasionando inclusive perda de consciência e morte, se não houver intervenção médica para baixar a temperatura corporal e reidratar a vítima. Quanto antes identificado o problema, mais fácil o tratamento.

Sintomas de insolação

A vítima de insolação começa sentindo dor de cabeça, tontura, náusea e a pele quente. Logo depois, se não for tratada, o pulso acelera, a visão fica embaçada, a respiração vai ficando mais difícil e a pessoa geralmente desmaia. Em estado avançado de insolação, pode acontecer a perda de consciência, que pode levar à má oxigenação do cérebro, fazendo com que a pessoa possa ter lesões cerebrais irreversíveis. Confira abaixo os sintomas:

  • Cefaleia (dor de cabeça)
  • Tonteira
  • Náusea
  • Pele quente e seca (não há suor)
  • Pulso rápido
  • Temperatura elevada
  • Distúrbios visuais
  • Respiração rápida e difícil

Como prevenir insolação

  • Evite se expor ao sol no horário das 12h às 15h, que é considerado o período de sol mais forte.
  • Use filtro solar e reaplique de tempos em tempos de acordo com a indicação na embalagem. Isso evita as queimaduras.
  • Hidrate-se com água, isotônicos ou sucos. Um dos líquidos mais recomendados para hidratação é a água de coco, mas cuidado para não ingerir em excesso já que ela é um laxante natural.
  • Proteja a cabeça do sol usando bonés, bandanas e chapéus. Uma dica legal é manter a cabeça molhada. Se estiver com uma bandana, molhe ela, pois isso mantém mais baixa a temperatura da cabeça e dá uma sensação agradável.
  • Use roupas leves e soltas, nada que fique apertado no corpo, dificultando a transpiração e aumentando a sensação de calor.
  • Use óculos escuros para proteger a visão.

Tratamento da insolação

Caso seja identificado os sintomas de insolação, atenção às dicas abaixo. São todas bastantes simples e fáceis de serem executadas:

  • Mantenha a pessoa em repouso e recostada, com a cabeça sempre elevada.
  • Leve o aventureiro para um lugar fresco, na sombra, passe água pelo corpo e aplique compressas com água fresca na testa e principalmente nas articulações (pescoço, nas axilas e nas virilhas), para ajudar a baixar a temperatura.
  • Deixe a pessoa o mais arejada possível, removendo parte da sua roupa (se possível, deixar somente com roupas íntimas).
  • Faça a pessoa beber água, não muito gelada, nem em grandes quantidades. O ideal é uma água fresca, que deve ser bebida aos pouquinhos. Podem ser ingeridos outros líquidos também, como sucos ou isotônicos, mas nada de bebidas alcóolicas.
  • Se a temperatura corporal não diminuir e a pessoa não melhorar, procure ajuda médica com urgência. Não deixe que a situação se agrave ao ponto de ocorrer perda de consciência. Em casos graves, a pessoa pode sofrer até mesmo uma Parada Cardiorrespiratória (PCR), que poderá levar à morte.

Vale ressaltar que, mesmo que a vítima se sinta melhor, ela não poderá ficar novamente exposta ao sol pelo menos até o dia seguinte.

Desidratação

A desidratação acontece quando seu corpo não está recebendo a quantidade de água necessária. Ela pode ser causada por perda excessiva de líquidos (principalmente durante a realização de atividades físicas intensas ou excesso de calor) ou mesmo pela falta de ingestão de água.

A desidratação é classificada como leve ou grave, dependendo da quantidade de líquido que o corpo perdeu ou que não foi reposto.

O que causa desidratação

Há várias situações que podem levar a um quadro de desidratação. Em caso de aventuras e acampamentos, os mais comuns são: suor excessivo, vômitos e diarreia (esses dois últimos causados principalmente pela ingestão de água e alimentos inadequados).

Sintomas de desidratação

Desidratação leve

Sentir sede ou perceber que a boca está seca é um sinal de uma desidratação leve. Mas, na fase inicial de desidratação, nem sempre a pessoa sente sede, por isso é importante também estar atento a outros sintomas, como dor de cabeça, tonturas ou falta de vontade de urinar.

Desidratação grave

Quando o nível de desidratação piora e se agrava, a pessoa fica confusa, irritadiça e sua boca fica extremamente seca. Outros sintomas são pressão baixa, frequência cardíaca alta e falta de vontade de urinar por mais de oito horas ou ao ir ao banheiro, observar que a cor da urina está amarela escura ou até alaranjada. Em casos extremos, a pele se torna tão seca que, ao apertá-la, ela fica enrugada, a pessoa sente febre e começa a delirar. Em uma situação ainda mais grave, os rins (e outros órgãos) podem entrar em colapso e pode ocorrer perda de consciência, convulsões, coma e até a morte.
Tratamento da desidratação

A ingestão de água é geralmente suficiente para resolver a desidratação leve. É melhor ingerir quantidades pequenas de líquidos (usando uma colher de chá ou até mesmo uma gaze umedecida) do que dar goles grandes de uma vez só. Quando em uma situação de desidratação, a ingestão de uma grande quantidade de líquidos de uma só vez pode causar náusea e, assim, mais vômitos, agravando mais ainda a desidratação.

Além da ingestão de água, também é possível amenizar uma situação de desidratação com a ingestão de isotônicos (como Gatorade, Powerade etc.) que, além de água, possuem sais minerais e carboidratos e foram desenvolvidos especialmente para repor líquidos e sais minerais perdidos pelo suor durante a transpiração.

Soro caseiro e água de coco também são excelentes formas de repor líquidos. No entanto, uma observação muito importante sobre a água de coco é que, se ingerida em grande quantidade, pode levar o aventureiro a ter diarreia, já que ela também tem o poder laxante.

Fluidos intravenosos (soro hospitalar) e hospitalização são a melhor opção em caso de desidratação mais grave. Como sempre informamos em nossos artigos, é muito importante a busca médica, principalmente em casos mais graves, pois só uma pessoa habilitada poderá avaliar o real quadro clínico de uma pessoa com desidratação.

Mas o mais importante: se o aventureiro estiver em um local extremo ou isolado, já procure repor os líquidos aos primeiros sinais de desidratação, para que a situação não se agrave.

Como prevenir

  • Mesmo sem sede, beba líquidos diariamente, ainda que seja em quantidades pequenas, principalmente se estiver fazendo atividades físicas. No mínimo, um copo por turno, se você não estiver fazendo uma atividade de grande intensidade. Já se você estiver fazendo um trekking ou uma travessia de longa distância, beba constantemente. Procure beber não menos que 1,5 litro por dia, se estiver realizando atividades físicas, ou em uma situação de calor, aumente essa quantidade.
  • Pode-se levar uma garrafa de água e uma de isotônico ou água de coco e intercalar, bebendo um pouco de cada.
  • Além da água, boa parte do líquido que necessitamos vem de alimentos. Sendo assim, pausas para um pequeno lanche, como frutas por exemplo, também ajudam na prevenção da desidratação.
  • Esteja sempre controlando a quantidade de água que carrega, para não acontecer de ela acabar no meio da aventura. Além disso, procure carregar sempre consigo uma garrafinha de água extra, para ser usada apenas em situação de emergência.

Receita de soro caseiro

Esta medida é para um copo de água e as colheradas são baseadas nas colheres de cafezinho e de sobremesa.

  • 1 Copo de água (200 ml)
  • 1 Colher de cafezinho de sal
  • 2 Colheres de sobremesa de açúcar

O sol pode ser um grande amigo e ao mesmo tempo um grande inimigo dos aventureiros que realizam atividades ao ar livre portando fique ligado.

Bom, agora que já estão todos informados é só curtir o verão com muita responsabilidade e saúde!

Sobre o Autor

Rafael Freitas
Rafael Freitas
Brasileiro, Belo Horizonte/MG, Formado em Processos Gerencias, Empreendedor, Guia de Montanha especializado em Turismo de Aventura. Sócio Proprietário na empresa Pegada Ecoturismo e Futuro Palestrante. Amante das serras, montanhas e cachoeiras, com varias vivencias no ecoturismo, decidiu que viveria sua vida respirando e sonhando aventuras. Acredita que não existe limites para conhecer novos lugares e novas conquistas. Viajar é explorar o novo, de forma simples.